• 19 de setembro de 2013
pt_br

Segunda Carta aos Padrinhos de Manuele Carvalho no Peru

Punto Corazón San Martin de Porres( Lima-Peru) Manuele Carvalho de Souza Carta aos padrinhos n°2 Sexta-feira 6 de setembro de 2013

“ O poder do amor simples “ P. Thierry

Hola querida família, amigos, padrinhos e madrinhas. Como estão?

Espero sinceramente que bem. Já vem se aproximando meus 4 meses de estadia aqui no Peru, e tenho que dizer que é cada vez mais difícil transcrever o que se passa aqui em algumas poucas linhas.Tenho a certeza que jamais serei capaz de expor um terço do que vem transcorrendo em minha missão, porque as justas palavras se tornam verdadeiramente pequenas frente a realidade vivenciada neste lindo país. Mas, como é sempre muito bom compartir com os amigos as coisas boas, gostaria de tentar compartir um pouco de minha alegria com vocês.

JPEG - 27.1 KB

A beleza e a concretude dos pequenos encontros.

É cada vez mais apaixonante percorrer as ruas do meu novo bairro, La Ensenada del Chillon. Poder sair de minha casa e ser surpreendida por um abraço de uma criança e as saudações dos meus mais novos amigos. O amor transmitido por estas pessoas a cada momento faz com que tudo venha se tornando cada vez mais intenso. O que de forma nenhuma apaga a alegria e a leveza de reencontrá-los. A coisa é que antes de chegar no Peru, estes pequenos encontros costumavam passar despercebidos para mim, não podia enxergar ou

mesmo valorizar estes momentos. E agora tudo se passa de uma forma tão diferente, é como se passasse a procurar Deus em cada pessoa que cruza meu caminho. Onde eu moro agora as pessoas não tem muitas coisas materiais, mas possuem um amor tão grande pelos demais!, eles se doam a cada instante.E é um amor tão puro, tão gratuito que as vezes chega a ser desconfortante, isto, pelo fato de saber que quando cheguei costumava pensar que faria muitas coisas por eles e por fim descobri que são eles que fazem tudo por mim.

Este amor que eu recebo diariamente de cada novo amigo que venho cruzando ao longo do meu caminho é o que eu denomino: amor simples. Aquele amor que dá tudo e não espera nada, aquele amor Gratuito. E é exatamente isto que me faz enxergar e valorizar a beleza e a concretude dos pequenos encontros.

“La reina”

Já que estamos falando desses lindos encontros, gostaria de compartir com vocês um desses insondáveis momentos vivenciados e jamais esquecidos por mim.

Fui encontrar uma pessoa e encontrei uma rainha, ou “la reina”, como se diz por aqui. Abuela Rosa é o nome dela, uma mulher nobre que não tem castelo, que não pode falar muito, mas que ao mesmo tempo pode dizer tudo. Há quinze anos, La Ensenada escuta a história dessa rainha, cujo reinado se limita a um pequeno casebre. Este, que para alguns de nós seria apenas um quarto, vem a ser a riqueza de Abuela.

Ao entrarmos nesta casa podemos encontrar no centro uma cama de casal, algumas cadeiras espalhadas ao redor dela e uma pequena mesa; isto é tudo. No inicio esta pobreza material poderia nos chocar e ou escandalizar, mas isto se torna impossível quando se conhece a Abuela. Faz quase duas décadas que esta linda mulher esta sobre uma cama, não caminha, não pode falar nitidamente, não faz quase absolutamente nada sozinha. Mas é esta mesma mulher que GRITA como um anjo em nosso coração, e que vem transformando a vida de cada pessoa que se aproxima dela. Esta rainha tem um rei, Vitor, um homem que, verdadeiramente, não se encontra todo dia. Ele sai bem cedo, a cada dia, para trabalhar, mas antes de sair deixa exatamente tudo, pronto para a Abuela: a comida, a bebida, os remédios, uma vela, entre tantas outras coisas que nossa ROSA necessita.

Há quase 17 anos este homem vem dando vida a Abuela. Trabalha diariamente para ter o dinheiro necessário para o próximo dia. Como se pode notar, esta casa pode não ter água, não ter luz, estoque de comida, mas com certeza, muito, mais muito amor. Neste lugar, e nesse encontro pude entender muitas coisas, sentir o que significa o verdadeiro sentido do AMOR SEM FIM. Ah se tudo fosse tão óbvio!, Ah se tudo fosse tão fácil!, a Abuela não estaria mais hoje aqui.Vivemos num mundo onde as pessoas buscam todo tempo algo concreto, ou algo que lhe dê algum retorno ou dinheiro, querem construir grandes edifícios ou pontes, querem ver algo grandioso, e acabam deixando de lado as mínimas coisas, os pequenos gestos, coisas que não se podem observar CONCRETAMENTE, mas que se podem sentir INTENSAMENTE.

JPEG - 51.8 KB

Ha quase 20 anos a ABUELA, vem construindo pontes nos corações das diferentes pessoas. Aquela Abuela, aquela mesma que não fala muito, que se move menos ainda, que é totalmente dependente, vem ensinando a essa gente diferente que quando se fala do verdadeiro amor, este não tem limites. Bem queridos amigos, vou ficando por aqui. Que Deus os proteja em cada instante. E quando as coisas estiverem um pouco mais difíceis, lembre-se sempre de nossa ABUELA ROSA, porque com ela vocês poderão descobrir a importância DO AMOR SIMPLE.

Abraços, Manuele Carvalho


Voltar para o início