• 10 de setembro de 2011
pt_br

Cláudia e Junior na Fraternidade São Maximiliano Kolbe

1-Como vocês conheceram a Obra?

Junior - Fui a primeira vez na Fazenda do Natal em 2001 quando, por graça de Deus, fui levar uma amiga que desejava conhecer a Fazenda. Desde este primeiro encontro tive a certeza de que Deus tinha planos bem maiores para mim.

Cláudia - Conheci a Obra em 2005 através de Junior. Lembro que ele me levou na Fazenda do Natal em uma manhã de domingo e o que mais me chamou a atenção, naquele dia, foi a alegria no rosto das pessoas, a simplicidade da Missa e as crianças. A Missa era de renovação dos compromissos de Binha e Tiane na Fraternidade São Maximiliano Kolbe. Aquele dia me tocou muito. Não imaginava que no futuro iríamos casar naquela Capela e também batizar nosso filho. Hoje vejo que somos abençoados por fazer parte da família Pontos Coração; sempre agradeço a Deus pelas graças que Ele nos concede através da Obra, podendo compartilhar melhor o carisma com o mundo.

JPEG - 128.9 KB
Cláudia e Junior e o filho Emmanuel

2-Como o carisma da Obra lhe ajuda na sua vida?

Junior - Acredito que Deus se revela muito a mim através da Obra. As amizades, os momentos de comunhão, de oração e o dia a dia me permitem perceber a grandeza e o amor de Deus. Podendo assim viver uma vida familiar e de trabalho de uma forma muito mais confiante e feliz que me permite compartilhar melhor com as pessoas ao meu redor, minha missão e o meu batismo em Cristo.

Cláudia - Depois que conheci Pontos Coração comecei a participar das escolas de comunidade e em 2007 fiz o meu primeiro compromisso com a Fraternidade São Maximiliano Kolbe. Nos encontros mensais aprendi a partilhar da minha vida, a ver a vida com outros olhos, a ver o mundo de uma outra forma. Por exemplo: passei a louvar e agradecer a Deus admirando a natureza na minha ida ao trabalho. Mesmo estando distante da Fazenda gosto de me fazer presente através da oração, rezando pelas pessoas que sofrem, pelos que fazem parte da Obra, pelos sacerdotes de Pontos Coração. Passei também a perceber o quanto cada pessoa é importante, independente de sua condição. O carisma nos ajuda a viver o batismo e a vida em Deus; se estamos na Fraternidade São Maximiliano Kolbe é porque buscamos a Cristo, e as amizades nos ajudam a encontrá-lo e a viver bem o nosso batismo.


Voltar para o início