• 21 de junho de 2014
pt_br

Testemunho de Cecilia da sua missão na Fazenda do Natal

Escrevo essa letra desde São Paulo, aonde acabei de voltar. Quando me lembro desses dois meses na Fazenda do Natal, na Bahia, várias emoções se misturam. Alegría, felicidade, mas sobre tudo, saudades. Agora, estou sentindo falta, nostalgia, da Fazenda. A minha experiência foi curta, mas são certamente os dois meses aonde me senti mais “viva”. Me sentía próxima do povo brasileiro, que já conhecía depois de tres anos no Brasil, mas me senti particularmente próxima do Cristo. Em quasi cada encontro que fiz, O sentía perto.

Nessa missão aprendi a paciência, a perseverância em toda situação. Ajudava várias crianças com os deveres e dava aulas de leitura a um deles. Eu tinha o sentimento que, pouco a pouco, ele abandonava a ideia de aprender a ler um dia. Como se ele se repetia a ele mesmo de nunca conseguiria. As últimas aulas foram, no entanto, incríveis. Como se ele tivesse uma desblocagem mental, vi grandes melhoras em comparação às primeiras aulas. Era só confiar nele, por que essa criança é capaz de muito mais. Um homem me perguntava coisas para conhecer melhor a Pontos Coração :

“Quando vocês escolhem de fazer uma missão com Pontos Coração, deixam tudo e vem ajudar aqui, é isso? E conseguem?”

Sim. Graças às pessoas conhecidas, graças à nossa Fé, tudo isso se torna uma evidência. Se olvidar um pouco a si-mesmo, fazer o máximo para agradar a outra pessoa. Com certeza é isso que eu gostei mais. Fazer uma coisinha, um detalhe, que vai agradar a outro. E simples, mas pode ser que esquecimos na vida quotidiana.

De volta para casa, não tenho que cair na rotina de novo. Cada dia, tenho que lembrar da minha experiência de Fé, mas também da minha experiência humana, que me permitiu conhecer pessoas extraodinárias que me marcaram profundamente. Apesar da violência da vida nas histórias de alguns, encontramos uma linda doçura que emana deles.

JPEG - 94.8 KB
Cecilia e Miguel

Cecilia Tissot


Voltar para o início