• 4 de novembro de 2016
pt_br

A Igreja deseja viver uma profunda renovação missionária

Queridos amigos,

desejamos partilhar com vocês estas palavras do nosso Papa que expressam tão bem o nosso chamado missionário: que elas acompanhem Sthefane e José que se preparam a sair, e Arnaud, Hortense, François e Tomász que chegam! E todos vocês que de perto ou longe nos acompanham!

“Todos somos convidados a aceitar esta chamada: sair da própria comodidade e ter a coragem de alcançar todas as periferias que precisam da luz do Evangelho (...) Hoje que a Igreja deseja viver uma profunda renovação missionária, há uma forma de pregação que nos compete a todos como tarefa diária: é cada um levar o Evangelho às pessoas com quem se encontra, tanto aos mais íntimos como aos desconhecidos. É a pregação informal que se pode realizar durante uma conversa, e é também a que realiza um missionário quando visita um lar. Ser discípulo significa ter a disposição permanente de levar aos outros o amor de Jesus; e isto sucede espontaneamente em qualquer lugar: na rua, na praça, no trabalho, num caminho.

Nesta pregação, sempre respeitosa e amável, o primeiro momento é um diálogo pessoal, no qual a outra pessoa se exprime e partilha as suas alegrias, as suas esperanças, as preocupações com os seus entes queridos e muitas coisas que enchem o coração. Só depois desta conversa é que se pode apresentar-lhe a Palavra (...), mas sempre recordando o anúncio fundamental: o amor pessoal de Deus que Se fez homem, entregou-Se a Si mesmo por nós e, vivo, oferece a sua salvação e a sua amizade.”

Papa Francisco, Exortação Apostólica Evangelii gaudium n°127-128


Voltar para o início